Pesquisar este blog

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Liberdade

Nossa liberdade está em busca de algo. Quando encontra isto, atinge o seu objetivo e cessa, pois o que lhe resta buscar, se atingiu sua meta ?

Há, tambem uma liberdade sem busca. Em vez de aproximar-se, ela se afasta de algo. Como jamais atinge a meta, ela tambem nunca cessa.

Quando persegue um objetivo, nossa liberdade esta a seu serviço e tem força. Em contraposição, quando só pretende fugir de algo, nossa liberdade permanece vazia, estranhamente vazia. Como carece de direcionamento e de dedicação, torna-se fraca e pobre.

Em nossas viagens interiores, permanecemos livres num sentido positivo. Temos uma direçao mesmo que a nossa meta, por ser a derradeira, permaneça amplamente oculta. Todavia, seu caráter oculto, não a torna totalmente vazia, pois este vazio é pleno.

Mesmo antes de chegarmos, a propria direção já nos torna plenos, tão plenos que ai cessa a nossa liberdade: seja qual for a distancia a que cheguemos, nada vai alem deste caminho.

Onde mais a liberdade cessa? No momento, em que estamos completamente nele. Quem permanece no momento é capturado pelo momento. Costumamos imaginar a liberdade como desvinculada do instante. Com isto, ela se esvazia, pois apenas o momento é pleno, mais ainda: no momento, já estamos na meta.


Bert Hellinger ( Viagens Interiores )

Nenhum comentário:

Postar um comentário