Pesquisar este blog

domingo, 18 de janeiro de 2015

O Luto e a reconciliação por meio das Constelações Familiares

  
“Todos, até a geração de nossos bisavós e as vezes tataravós, que puderem ser lembrados, atuam em nosso sistema tal como se estivessem presentes. Mas atuam principalmente aqueles que, por qualquer motivo que seja, tenham sido esquecidos ou excluídos do sistema”    Bert Hellinger – Anerkennen was ist 



"Bert Hellinger aponta como por meio da psicoterapia ou pelas constelações familiares acaba se trazendo à tona temáticas que tocam na morte de parentes e histórias antigas, de segredos, feridas, perdas e exclusões.

A dor e o luto são processos necessários para que possamos nos separar daquele(a) que partiu. Aquilo que os mortos nos deram, independente se bom ou ruim, forte ou fraco, leve ou pesado, continua atuando sobre nós. Quanto tomamos nas mãos o que nos foi dado por esta pessoa e agradecemos, deixamos que o passado passe e seguimos no presente, com os que ficaram em nossa alma.

Só quando tem um lugar, pode descansar e deixar os vivos em paz. Percebe-se isto nas Constelações Familiares, quando o excluído ou temido, recebe um lugar, abençoa aqueles que estão a sua volta e cessa seu movimento de reivindicação. Assim, quando reconhecidos e respeitados, podem partir em paz, e dão força aos que permanecem vivos."  

Parte integrante do artigo:  A morte e o morrer nas Constelações Sistêmicas Familiares - Pags. 37 à 42. Revista Conexão Sistêmica Sul. Revista Internacional de Constelações e Soluções Sistêmicas. 3 edição. São Paulo, 2013 - por René Schubert

Para adquirir a revista:  http://www.conexaosistemicastore.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário